Religião

Religião, cada um tem a sua, não é? Concordo em partes com esta afirmação.

Começa com o fato de religião ter partido do termo “religare”, de religação. Teoricamente, seria uma “religação” entre o homem e um deus. Talvez seja daí o termo: Religião, cada um tem a sua.

Vou citar um verso que tem na bíblia que diz: A religião pura e imaculada para Deus é ajudar o pobre, o necessitado e a viúva e se manter “incorruptível”. (meus termos do texto Tiago 1:27)

Pelo menos para os cristãos, a bíblia só diz ser a favor de uma RELIGIÃO, neste texto! Pasmem! hehe

E se a religação é o ato de ajudar o pobre, o necessitado e a viúva e se manter incorruptível, por que será que cada um tem a sua? Não faz sentido algum! Claro que houve uma grande mudança nas conotações dos termos, mas e a essência da coisa, sabe?

Se entendermos bem o termo aqui empregado como “pobre, necessitado e viúva”, entenderemos o que é religação ou com o que precisamos nos religar.

Pobre e necessitado na bíblia sempre tiveram muitas conotações, pobre de espírito, pobre de conhecimento, pobre de amizade, necessitado de afeto, necessitado de amor, pobre e necessitado de dinheiro e mais uma infinidade de conceituações para o mesmo termo. A viúva nem sempre era a que perdera o marido, mas também para a que tinha que sustentar a casa sozinha, sem auxilio de qualquer pessoa, inclusive um marido.

Se esta é a religião pura e imaculada para Deus, será que o temos hoje em dia é religião? Ao invés de ajudar essas pessoas, dizemos como devem ou não viver, o que é que podem e o que não podem fazer, dizendo que isso é certo e aquilo é errado (a nosso próprio ver), como assim?

Pra mim, religião está no fato de nos religarmos com o mundo, com a terra, com a vida, nos tornarmos humanos novamente! É esta religação que precisamos! Nos tornamos egoístas, avarentos, desalmados, desrespeitosos, donos da verdade absoluta e mais tanta coisa, que nos impedem de sermos quem nascemos pra ser, nos impedem de nos religarmos com o que somos.

O fato de nos mantermos incorruptíveis é justamente pelo fato de não nos esquecermos de quem somos, para que vivemos, qual o significado, sentido e propósito da vida.

Minha religião é fazer o bem, ser o bem, ser humano, ser aquele que leva sorriso ao entristecido, conhecimento ao necessitado, instrução ao perdido, carinho e amor ao pobre de espírito e tantas outras coisas. Se esta fosse a religião de todos, o mundo seria um lugar MUITO melhor pra viver.

Apenas pelo fato de dizermos: Religião, cada um tem a sua! Já mostra o quanto temos sido egoístas e miseráveis com relação à nossa interação com o mundo que vivemos. Abandonar tudo isso é o que as “religiões” pregam e ensinam. (Pelo menos nos sua início).

Este é um convite a uma vida mais cheia dessa religação, desse encontro entre quem somos e quem podemos ser. Este é o papel da religião e não o que vemos por ai.

“Bora” fazer desse mundo um mundo melhor ? Vamos todos ter a mesma religião? E unidos, transformar o mundo à nossa volta?

Um forte abraço.

Caio Faria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s